Cachorro elétrico nós temos! E você?




Há um ano e três meses atrás, adotamos uma cachorrinha linda, bem pequenininha e toda pretinha, sem raça definida e resolvemos chamá-la de Tapioca. Um doce de cadela nos primeiros três meses de vida, porque daí em diante ela mostrou quem realmente é. Vive ligada nos 220 o tempo inteiro, pula que nem Canguru, cava igual Tatu, se suja na lama como um Porco e com certeza, é prima de um  Pitbull. Não existe nada que a acalme, nem carinho. Destrói todos os brinquedos que ganha, inclusive o pote de comida e a própria casa que, diga-se de passagem, ela não dorme dentro, porque prefere dormir ao relento.

 Ninguém consegue tosar ela e, só dá para dar banho no Pet Shop se for amordaçada, quando a dona nos vê chegando, ela se arrepia e com certeza ora pra gente dar meia volta .   Em casa conseguimos dar banho, sem mordaça, mas temos  que ser mais rápidas do que suas escapadas,  não conseguimos secá-la com secador de jeito nenhum e,  ela sempre arruma um jeito de fugir escada abaixo e voltar a se esfregar na terra. Até aí, tudo bem, nós entendemos e aceitamos que ela tem um temperamento estranho e a amamos apesar das suas particularidades, mas no mês passado ela conseguiu se superar.

Meu filho de 7 anos arrancou o primeiro dentinho de leite que estava mole, um momento tão esperado por ele e por todos nós, que fizemos a maior festa. E como de costume, eu falei para ele que eu iria guardar esse primeiro dentinho dele junto com o da mana para ficar de recordação, mas antes da gente fazer toda a assepsia no dente e guardá-lo, ele resolveu ir até a casa da avó para mostrar a novidade. Sabe como  é criança, quer mostrar para todo mundo que está banguela.

 Na volta, com preguiça de subir as escadas, deixou o dentinho no terceiro degrau, gritou lá debaixo me avisando e voltou pra casa da avó deixando a porta que dá para o quintal entreaberta. Desci as escadas, procurei o dente e não achei. Olhei em todos os degraus e nada do dente. Achei estranho e chamei meu filho para conferir em qual degrau ele tinha deixado esse bendito dente, ele me mostrou que foi bem ali, no terceiro degrau. Procuramos de novo e nada desse dente aparecer, de repente eu mato a charada, olho para a porta entreaberta do quintal e vejo a Tapioca com a cara mais deslavada do mundo, me olhando com aquele olhar de quem fez coisa errada e, lanço a pergunta que não quer calar: Tapioca tu comeu o dente do Luís Henrique? Afff guria, tú nem precisa me responder, a tua cara já me disse tudo! E quem tem cachorro bagunceiro, sabe de que tipo de cara eu estou falando: olho caído, cabeça baixa e rabinho entre as pernas.

Não acreditei,  pra quê minha gente, comer um dente? Alguém me explica? Pensa na tristeza do menino, tadinho, chegou a chorar.  Ainda bem que o segundo dentinho caiu na semana seguinte e amenizou a tristeza. Tive que usar de toda uma psicologia para convencê-lo de que o segundo dente era exatamente igual o outro que caiu primeiro e eu iria guardar com todo amor.  

Mas, voltando ao assunto em questão, eu estou pra conhecer uma cachorra tão arteira como essa, é algo inexplicável e inacreditável as peraltices que ela faz, se a gente bobear, ela sobe as escadas sem fazer nenhum ruído  e rouba as coisas da sala, outro dia mesmo, peguei ela enterrando uma meia do meu filho no quintal, resgatei  um cesto de vime que estava sendo devorado, encontrei um pé de chinelo perdido há meses, salvei um sapo dos seus ataques de fúria, tentei consertar a telha da casinha que ela comeu, descobri quem anda comendo as cascas de frutas e verduras da minha composteira, vi com meus próprios olhos ela arrancando meu pezinho de abacaxi da horta, não consegui impedir que ela comesse uma lagartixa que andava pelo muro e constatei que ela conseguiu morder  todo  o prato de metal que eu acabei de comprar pra ela.   


Ah, já ia esquecendo de mencionar que ela também trota igual Cavalo quando está na guia!  Se você tem ou conhece alguém que tenha um cachorro elétrico como nosso, por favor, divida conosco suas experiências, quem sabe a gente consegue se ajudar! 

Adoção cachorro
Ainda filhote, toda meiga!



Menino com cachorro no colo
Aqui  toda elétrica!



Share this:

, , , , , , ,

CONVERSATION

2 palpites:

  1. Elaine eu achava que tinha adotado a dog mais elétrica... Mas a sua ganha disparado rsrsrs A minha também pula feito doida, eu a chamo de cãoguru e para me punir por sair para trabalhar, e deixá-la sozinha, faz pipi no sofa (que tive que me desfazer). Mas, mesmo sendo tao peralta, tenho um carinho imenso por minha sapeca.

    ResponderExcluir
  2. Oi Mônica, a nossa faz cada coisa, mas mesmo assim amamos essa cadela eletrica, rsrsrs e sempre penso o seguinte, ainda bem que ela veio pra nossa casa, porque talvez se tivesse em outro lar, poderia estar sofrendo maus tratos. Bjs

    ResponderExcluir

Comente, dê sua opinião, compartilhe experiências...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...