Adaptação...

        
 Resolvi colocar meu filho de apenas 1 ano e 10 meses na escola, consciente de que a fase de adaptação era uma etapa necessária para ele e para mim, como aconteceu há 11 anos atrás quando coloquei minha filha mais velha na escola também.  Diferente do irmão, ela tirou de letra essa fase delicada da vida de uma criança. Confesso que eu esperava que ela fosse chorar, que não quisesse ficar longe de mim, que faria um escândalo nos primeiros dias, mas nada disso aconteceu.

 Certa de que a mesma coisa aconteceria, fui levar meu pequeno na escola, receosa claro, mas com aquela sensação de que tudo ia dar certo como foi da primeira vez. Puro engano. Olha a maternidade aí me ensinando mais um monte de coisas!

 A fase de adaptação ainda está acontecendo pra nós dois, quase dois meses após o início das aulas, ele ainda chora muito quando chega à escola e isso não está sendo fácil para ninguém. Todos os dias deixo ele aos prantos com a professora e saio com os olhos rasos d’água. Sei que é só uma fase, que vai passar, que daqui a pouco tempo ele vai me dar tchau e mandar beijinho sem derramar uma lágrima sequer, mas enquanto isso não acontece, meu coração de mãe sofre, e como sofre. Já pensei até em desistir e deixá-lo em casa, tamanho o estresse que isso tem causado em nós dois, mas decido me manter firme e seguir em frente, certa de que vai valer a pena. A separação para ele e para mim tem sido mais dolorida, mais cansativa e mais desesperadora. E não é que em meio a essa fase turbulenta e estressante acabei fazendo valiosas descobertas?

Pensando e repensando, comparando o presente e o passado, acabei descobrindo que cada filho tem sua própria personalidade, seu jeito, seu tempo, seu temperamento, mesmo quando eles são criados na mesma casa, com os mesmos pais e do mesmo jeitinho. É preciso respeitar as particularidades de cada um.  

Descobri também, que não existem regras fixas e definidas e nem um prazo determinado para a adaptação escolar acabar, algumas são mais rápidas, outras mais demoradas, algumas são regadas com lágrimas, outras com sorrisos, algumas são fáceis, outras são desafiadoras.

Descobri ainda que, apesar das lágrimas derramadas na hora da chegada, o mais importante de tudo é a certeza que meu filho tem, de que eu estarei lá, na hora da saída, de braços abertos e com um sorriso gigante nos lábios esperando por ele todos os dias, porque não existe sorriso mais sincero e abraço mais gostoso do que, os que eu recebo todos os dias quando nos reencontramos. 


Mãe e filhos




                       


Share this:

, ,

CONVERSATION

3 palpites:

  1. Pois e' cada ser humano e sempre diferente querida...rs e serve para ter diversas experiencias maternais.
    beijo

    ResponderExcluir
  2. adaptação...

    tanto pra nós qto pra els, é difícil, dói, desgasta, mas passa.
    força aí!

    bjocas

    ResponderExcluir
  3. Elaine,
    Minha sobrinha foi exatamente como sua filha, um sucesso na adaptação na escola, no desfralde.
    Já o meu filhote tem sofrido tanto pra de adaptar na escolinha, também já vai completar um mês de escola e os choros continuam....

    ResponderExcluir

Comente, dê sua opinião, compartilhe experiências...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...