Partidas e chegadas…



Nossos planos como família sempre se resumiu a termos dois filhos, não importando se teríamos duas meninas ou dois meninos. Então, quando engravidei pela segunda vez, já sabia que essa seria minha última gestação, por isso, tentei aproveitar ao máximo esse tempo e curti muito meu barrigão. Foram 36 semanas de muita conversa, amor, carinho e dedicação a alguém que eu ainda não conhecia, mas que já fazia parte de mim.

Quando ele nasceu, eu também já sabia que seria a última vez que eu daria à luz e seguraria um filho recém nascido em meus braços. Eu jamais vou esquecer essa emoção vivida duas vezes por mim. Deus sabe o quanto sou  grata a Ele por esses dois sonhos realizados.  Porém, eu ainda não havia parado para pensar que seria a última vez que eu amamentaria um filho, acalentaria seu choro, desvendaria de uma forma tão natural suas dores.

Que seria a última vez que eu  ensinaria um filho a andar, a dizer as primeiras palavras, o nome de todas as coisas, que o ajudaria a vencer o medo de trovões e foguetes,  que ensinaria pela última vez tantas brincadeiras e cantigas de roda.

Eu ainda não havia parado para pensar que essa, seria a última vez que eu levaria um filho pela primeira vez na escola e ficaria com o coração partido por tê-lo deixado lá, mas tão orgulhosa ao mesmo tempo por vê-lo alcançar mais essa etapa.

O tempo tem sido tão cruel comigo que eu não estou conseguindo me despedir de tantas coisas. Talvez assim seja melhor,  mas eu sempre fico com a sensação de que eu queria que o tempo passasse um pouquinho mais devagar para eu poder curtir  um pouquinho mais  meu bebê e, me despedir de cada etapa com calma.  Tudo tem sido tão rápido, tão dinâmico, tão natural que às vezes fica difícil perceber que algumas etapas já se foram.  São tantas partidas e despedidas seguidas umas das outras, que às vezes fico até desconcertada, perco o prumo e derramo algumas lágrimas.

O que me consola é que além das partidas e despedidas, existem também muitas chegadas que trazem consigo tantas novidades, alegrias e desafios. Cada etapa que se vai, outra se inicia me enchendo de fôlego, orgulho e satisfação. Percebo que meus filhos estão ganhando asas para um dia voarem sozinhos, afinal essa é a lei natural da vida, mas sinceramente, eu gostaria de tê-los por muitos,  muitos e muitos anos eles, bem aqui, debaixo das minhas asas e dentro do meu ninho...




Share this:

, , , ,

CONVERSATION

7 palpites:

  1. Hoje foi o primeiro dia de aula do Edu e também me doi em ver que ele esta crescendo tão rápido!

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo, Elaine! Sabe que tenho me sentido assim ultimamente. Sinto tanta saudade do Gá bebê. Saudade de tanta coisa coisa q já passou. Mas faz parte da vida. Sinal q foram momentos felizes né?
    Bjo bem grande e curta muito seus pequenos!

    ResponderExcluir
  3. Amor de mãe...não se explica, apenas se vive.
    Lindo texto.

    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Que lindo... sinto a mesmíssima coisa. São as últimas... tudo que é a primeira vez delas, é a última pra mim como mãe...
    Ele ficou bem hoje?
    Beijos querida
    Gabi

    ResponderExcluir
  5. Toda a mae quer neah mesmo kk
    E quem sabe nao e o ultimo. bj

    ResponderExcluir
  6. Elaine, que texto lindo...confesso que fiquei até emocionada, porque também não sei lidar com despedidas e ao mesmo tempo é realmente uma alegria enorme vê-los crescer...

    bj

    ResponderExcluir

Comente, dê sua opinião, compartilhe experiências...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...